quarta-feira, 28 de setembro de 2011

GÉRARD FROMANGER - França
GÉRARD FROMANGER - França 1939 / A partir do nascimento da Pop-Arte, no final dos anos 50, a constante utilização da fotografia e das técnicas de reprodução mecánica, como o poster e a capa de disco LP, mudaram radicalmente as formas de se expressar arte. Podemos citar como ejemplo, dois artistas da Pop norteamericana: Robert Rauschemberg, que revolucionou as técnicas de impressão com as suas serigrafias monumentais, e Andy Warhol, que violentou o suporte, aproveitando os objetos da publicidade comercial, e levando o super-mercado para dentro das galerias, numa tentativa de destruir o conceito de "espaço privado" para público entendido, e aproximando a arte do consumo. Na Pop-Arte europeia, o interesse foi dirigido para a desconstrução da arte do passado, como as releituras humoristicas do grupo valenciano "Equipe Crónica" (1964 - 1981). Fromanger foi um artista importante deste período, e quem mais trabalhou empregando soluções gráficas na sua pintura. Nesta série retratando os boulevars de París, destaca os "cenários" da grande cidade, omitindo a descrição dos transeuntes, que aparecem no primeiro plano, recortados contra o fundo em fantasmais siluetas de cor chapada.

Fromanger - París 1968

Fromanger

Fromanger

Fromanger

Fromanger

Fromanger

Fromanger

Fromanger

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

DEMOCRACIA CAPITALISTA

TRIMANO - Série Economia - "Gerando Novos Empregos" - colagem e esferográfica

TRIMANO - Série Economia - "As Nossas Prioridades: Educação e Saúde" - esferográfica e hidrográfica

TRIMANO - Série Economia - "Aposentados e Pensionistas" - guache e esferográfica

TRIMANO - Série Economia - "As Metas do Crescimento" - guache e esferográfica

TRIMANO - Série Economia - "As Potências" - Colagem e esferográfica

terça-feira, 6 de setembro de 2011

OS ESCULTORES
RASEC - BRASIL

RASEC - escultor

CÉSAR SANTOS GUERRA "RASEC" - Rio de Janeiro 1953 - 2011 - O escultor RASEC, meu amigo por mais de 30 anos, traçou, durante a sua trajetória, um caminho autónomo, porem integrado ao sentimento do negro na luta pela preservação da sua cultura original. Alinhado entre os artistas que, desde Mario de Andrade até hoje, tiveram e têm a preocupação de organizar nossa produção cultural, atentos ao esvaziamento dos modismos do mercado, êle construiu uma obra pequena em quantidade, mas virtuosa no oficio e profunda no estudo da estética que caracterizou a escultura africana desde a antiguidade. "O dominio da ferramenta e o "poder das mãos" numa transformação constante e incessante da matéria, da casca ao cerne, para a conquista do movimento escultural" no dizer do arquiteto Paulo Pena Filho. RASEC, nascido e criado no tradicional bairro carioca de Santa Teresa onde transcorreu a sua vida, participou ativamente dos movimentos da cultura afro-brasileira. Destacamos os eventos: "Ciclo de Homenagem a Zumbi - Escola de Artes Visuais do Parque Laje" / "O Negro na Cultura Brasileira - Funart- MAM" / "Panorama de Arte Negra I e II - Estação do Metrô Cinelândia" / "Evento Cultural do Negro - Maison de France" / "Participação na cenografia do film "Quilombo dos Palmares" de Cacá Diegues" / no exterior: "Afro American Historical And Cultural The Arts - Museu Philadelphia - Pensilvania USA" / "Caribean Center Visual Arts - New York USA". Disse dêle o escultor Roberto Moriconi, também morador da comunidade: "Suas figuras esculpidas na madeira, hieráticas e ao mesmo tempo fortes e sensuais, sem negar as raizes africanas, nos sussurram a lembrança de que o suor do negro está misturado a cada coisa criada neste país".

RASEC - escultor

RASEC - escultor

RASEC - escultor

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

RASEC - escultor

RASEC - escultor

RASEC - escultor

RASEC - escultor

"Eu tenho desejo de uma arte que, social sempre, tenha uma liberdade mais estética em que o homem possa criar a sua forma de belezas mais convertido aos seus sentimentos e justiças do tempo da paz. A arte é filha da dôr, é filha sempre de algum impedimento vital. Mas o bom, o grande, o livre, o verdadeiro será cantar as dôres fatais, as dôres profundas, nascidas exatamente desta grandeza de ser e de viver.

RASEC - escultor

TRIMANO - "O escultor Rasec" - nanquim e guache - 1985

RASEC - escultor

RASEC - escultor

RASEC - escultor

Ha-de ser sempre amargo ao artista verdadeiro, não sei si artista bon, mas verdadeiro, sentir que se esperdiça dêste jeito em problemas trasitórios, criados pela estupidez da ambição desmedida. Um dia o grão pequenino do café nunca mais apodrecerá largado no galho. Nunca mais os portos de todos hão-de se esvaziar dos navios portadores de todos os beneficios da terra. Nunca mais os menos favorezidos de fôrças intelectuais estarão nos seus lugares, porque não tiveram ocasião de se espandir em suas realidades. Não terão mais de partir, na busca lotérica do pão. Então estarão bem definidas e nítidas pra todos as grandes palavras do verbo.

RASEC - escultor

RASEC - escultor

RASEC - escultor

Terá fraternidade verdadeira. Existirá o sentido de igualdade verdadeira. E o poeta será mais verdadeiro. Então o poeta não "quererá" ser, se deixará ser livremente. E há-de cantar mandado pelos sofrimentos verdadeiros, não criados artificialmente pelos homes, mas derivados naturalmente da própria circunstância de viver..." Mario de Andrade - Poesias Completas

RASEC - escultor